SEMINÁRIO DE CAPARIDE

"O JUSTO FLORESCERÁ COMO A PALMEIRA" (Sl 92)

TESTEMUNHOS VOCACIONAIS


 

 

PEDRO SOUSA

Comecei este caminho de discernimento vocacional quando tinha 12 anos, numa primeira experiência que fiz no Pré-Seminário de Lisboa. Para mim era fundamental perceber quem era Jesus e a quê que Ele me chamava. Já desde miúdo que me interrogava se o Senhor me podia querer como padre, sem saber muito bem no que esse sonho de infância podia algum dia trazer consigo.

Hoje estou no 1º Ano de Teologia, ou seja, no 2º Ano do Seminário Maior. Sei que foi o Senhor que me escolheu a estar no Seminário, que foi a Igreja que me chamou e que fui eu que respondi ao convite com um Sim. Se me perguntares se é fácil todo este caminho dir-te-ei aquilo que um padre espanhol uma vez disse: Não é fácil, mas é apaixonante!

A vocação é algo de extraordinário, não porque nos põe aliados numa experiência desencarnada, mas antes faz-nos querer viver cada momento da vida orientados para Deus, para a Vida Eterna, procurando responder ao chamamento com toda a nossa vida.

O seminário fez-me crescer muito e perceber que Deus, como Pai que é, constantemente olha por mim e ainda que eu reconheça que muitas vezes me sinto impotente perante tão grande desafio, é Ele que me capacita e me pede que eu me ponha todo nas Suas mãos. Sozinho sei que não consigo, mas sei que Deus pode fazer muito comigo, basta que eu tenha o meu coração disponível para O deixar entrar.

Estar no Seminário é assim responder ao Senhor, pondo-me todo nas Suas mãos, pedindo apenas: Senhor, fazei de mim um instrumento da vossa paz! Há muitas coisas que não sei como serão, às quais ainda não tenho resposta, mas há uma garantia que te dou: Sou Feliz no Seminário! Feliz porque vivo a querer fazer a vontade de Deus, porque me sinto muito amado por Deus, que constantemente «pega» em mim e me abraça com o Seu Amor e a Sua Misericórdia. Se há algo que não tenho dúvidas é que VALE A PENA SEGUIR O SENHOR!

26 de fevereiro de 2017


 

GUILHERMINO SARMENTO

Ao longo destes anos de caminhada em Seminário pude ir descobrindo Deus na minha vida.

Um Deus que é próximo, que me conhece e me ama de tal forma que se torna presente de uma forma tão concreta através do seu Filho Jesus e do Espírito Santo que habita em cada um de nós.

Aqui encontra-se o segredo para viver, em primeiro lugar, a vocação de ser Cristão. No que toca a este facto, a Igreja, neste caso concreto, o Seminário, tem assumido um papel fundamental na minha vida. Como uma mãe tem-me dado a conhecer o seu próprio Filho Jesus e, ao mesmo tempo, tem-me ensinado a viver como filho de Deus. E o que é viver como filho de Deus senão viver como Aquele que é o Filho, o próprio Jesus? De facto, à medida que vou conhecendo Cristo, mais me apercebo que é esta vida que tenho de agarrar, pois em Cristo ela ganha dimensões que nunca tinha imaginado!

Nesta lógica, quem conhece Jesus ama como Ele amou, serve como Ele se fez servo, entrega-se na vida quotidiana como Ele se entregou. Tudo ganha um novo sentido, porque é o próprio Deus que configura as relações entre cada um daqueles que vivem no Seminário e vai transfigurando o nosso olhar sobre o mundo e a Igreja.

É uma vida de compromisso e de exigência, pois o Amor requer ambos, mas, ao mesmo tempo, é esse mesmo Amor que tudo vai transformando em mim!

7 de novembro de 2015

Share This